Você é um consumidor ativista?
Moda

Você é um consumidor ativista?

Oi pessoas! Como vocês estão? Que saudade!

Passei um tempinho longe daqui, sempre por conta da correria da faculdade! Hahaha! Mas agora estou de férias e cheia de ideias para escrever aqui! Por aqui anda tudo bem e espero que com vocês também!

Eu li um livro, nesse último mês, muito interessante: “Consumo de Ativismo”, das autoras Izabela Domingues e Ana Paula de Miranda! Esse livro foi a referência mais importante de um dos trabalhos que entreguei – e até então, eu não conhecia esse termo.

“Consumo de ativismo” nada mais é do que consumir causas e ideologias pelas quais você luta e acredita, através de produtos e objetos. E hoje em dia, esse assunto está extremamente em pauta!

Tenho certeza que, se você é ligado (a) em moda, deve ter visto vários desfiles de grifes em que peças com frases feministas, frases de apoio ao movimento LGBT, com críticas sociais, defendendo a sustentabilidade aparecem – isso está cada vez mais comum, porque a moda reflete a sociedade! É por conta das mudanças sociais que surgem as tendências de moda.

As marcas de moda, sejam grifes ou Fast Fashion, estão se apropriando das lutas sociais e ideologias de gênero, de raça e políticas – se é por simples marketing, precisamos prestar atenção se esse posicionamento é passageiro ou superficial. Mas precisamos ver o que e onde estamos comprando nossas roupas.

Vestir uma simples camiseta nunca foi tão político. Usar uma t-shirt, de uma determinada marca, nunca mostrou tanto no que você acredita como agora.

Não podemos fechar os olhos e sair comprando de qualquer loja. Falo muito sobre sustentabilidade na moda no Instagram, porque é muito importante e, na minha opinião, é o futuro da moda. Não dá mais para comprar uma camiseta sem saber quem a fez, pois sabemos o grande número de denúncias de trabalho escravo na indústria têxtil.

Aquilo que você compra, você apoia. Aquilo que você veste, mostra quem você é, no que você acredita, aquilo que você luta, quais são seus valores. Comprar uma peça de roupa é comprar toda a história por trás dela.

A moda serve para que possamos nos expressar – seja para levantar uma crítica, para se posicionar ou para mostrar a sua personalidade. Precisamos adquirir mais conhecimento a respeito das marcas que vestimos, porque aquilo que compramos precisa se alinhar com aquilo que acreditamos!

Eu acho super necessário trazer assuntos mais “sérios” e com mais embasamento para vocês – e como estou no meio da minha graduação, já tenho mais bagagem para compartilhar uma visão mais profissional!

Espero que vocês tenham gostado, pois pretendo trazer mais posts assim! Se você não me segue no Instagram, corre: @Laurendarocha (só clicar aqui)! Compartilho bastante sobre moda nos stories – e sempre estou pedindo sugestões para trazer mais conteúdos para vocês!

Beijos, beijos e usem a moda para refletir!

Camiseta Dior, 2017. Tradução: "Irmandade é Global".
Camiseta Dior, 2017. Tradução: “Irmandade é Global”.
facebookfacebook

sobre a autora

Apaixonada por tudo que faz meu coração vibrar: moda, dança, livros, viagens, arte, música, céu, mar, sol e lua! Sou uma pessoa de muita fé e de alto astral! Estudante de moda, eu quero mostrar o lado “moda como expressão da sociedade”, pois acredito que ela não é só consumismo e regras ditas, mas sim, um meio de se libertar e ser quem você é!