Orgulho: direção contrária do amor!
Textos

Orgulho: direção contrária do amor!

Quantos relacionamentos acabam por conta do orgulho? Quantos relacionamentos não começam pelo mesmo motivo?

Nós, seres humanos, temos tendência a querer atenção. Queremos que o outro corra atrás, o outro venha conversar, o outro peça para você ficar. Isso enche nosso ego, sabe?

E essa palavrinha às vezes nos consome – mas somente se nós permitirmos. Perde-se amizades, amores e até a família porque não sabemos abrir mão da nossa “posição de servidos” – nunca de servir.

Já ouviu aquela frase “orgulho não te leva a lugar nenhum”? Pois é: ele te faz regressar. Orgulho te impede de sentir, de pedir ajuda e até de ajudar, de pedir desculpas, de tentar conquistar alguém.

O orgulho vai na direção contrária do amor, já que é egoísta e soberba. Até que ponto é “vantajoso” ser uma pessoa orgulhosa? O que você ganha sendo assim? Provavelmente nada. Você perde oportunidades. Perde pessoas importantes. Perde a razão, se você pensa que a têm.

O orgulho te faz ser fraco, porque você não consegue reconhecer seus erros. Te faz ser fraco, porque te limita a ficar esperando que os outros venham até você. Corajoso mesmo é quem dá a cara a tapa, sem medo de cair.

É difícil se desprender do ego, mas não é impossível. Precisamos nos abrir, precisamos parar de ser essa geração do “não estou nem aí, se quiser vem atrás”. Se tem interesse, porque não demonstrar? Se percebe que errou, porque não confessar?

É tão bom ser correspondido. É tão bom poder resolver algo pendente. É tão bom puxar assunto com alguém novo – e voltar a falar com um amigo da infância, por exemplo. É tão bom parar de querer ser difícil e começar a ser leve!

Não deixa o ego te consumir. Não deixa o orgulho te definir. Não pense que isso funciona como uma proteção – ela funciona como uma barreira para tudo que é bom.

Ainda há tempo de mudar – e recomeçar!

Texto por: Lauren da Rocha Scomparim.

a722537d-8a9e-487d-a6d1-96a5426bdefe

facebookfacebook

sobre a autora

Apaixonada por tudo que faz meu coração vibrar: moda, dança, livros, fotografia, viagens, longboard, arte (em geral), música, céu, mar, sol e lua! Sou uma pessoa de muita fé e de alto astral! Futura estudante de moda, eu quero mostrar o lado “moda como expressão da sociedade”, pois acredito que ela não é só consumismo e regras ditas!