Entre idas e vindas.
Textos

Entre idas e vindas.

Sempre escutei e li que a vida é feita de muitas fases, muitos altos e muitos baixos.

É um aeroporto onde pessoas vão e vem, passaportes são carimbados e não se vê para onde vão todos que passam por ele.

É um ciclo que sempre se renova. Relações surgem e pousam na sua vida, por tempo indeterminado. E depois de um tempo, elas partem, esquecem momentos bons e também os ruins – e você não pode segurá-las para sempre.

Mas, eu nunca entendi isso na prática. Sem você saber, pessoas decidem ir se afastando aos poucos. Sem dar tempo de um visto permanente, as pessoas somem do dia para noite.

É natural. É inevitável. Dói, mas já já recupera. Daqui a pouco o ciclo se renova, calma! Essa fase passa e tudo o que podemos fazer é dizer tchau, desejando o que for bom e só.

O nosso maior erro é acumular as malas perdidas durante as idas e vindas. É guardar os registros e as passagens. É ficar relembrando cada partida – e abrir as feridas novamente.

Entenda: pessoas chegam para te ajudar a evoluir. É necessário toda essa movimentação no nosso aeroporto particular para que possamos crescer e amadurecer. Tudo é aprendizado e o que fica foram só os momentos bons.

Precisamos aceitar essas fases. Precisamos buscar o lado bom de tudo e ver que nada é em vão. Tudo se ajeita – e ficar “sozinho” por um tempo tem que ser algo bom.

Se foi embora, era para ir. O visto venceu, a missão daquela pessoa foi cumprida. Ela não tem culpa, só precisa seguir seu caminho.

Agora é hora de limpar tudo e de se transformar de novo. Permanecer com o coração grato por cada um que passou por você – e mais ainda por aqueles que permaneceram.

Deus nunca erra. E o movimento de um aeroporto nunca para.

Texto por: Lauren da Rocha Scomparim.

Fotos retiradas do Tumblr e Google.
Fotos retiradas do Tumblr e Google.
facebookfacebook

sobre a autora

Apaixonada por tudo que faz meu coração vibrar: moda, dança, livros, fotografia, viagens, longboard, arte (em geral), música, céu, mar, sol e lua! Sou uma pessoa de muita fé e de alto astral! Futura estudante de moda, eu quero mostrar o lado “moda como expressão da sociedade”, pois acredito que ela não é só consumismo e regras ditas!