Ela.
Textos

Ela.

Ela está sentada em uma mesa no canto da padaria, tomando um café. Com fones no ouvido, olhando o pôr-do-sol na grande janela a sua frente. Mal sabe o quanto ela fica linda, assim, tão distraída.

Imagino como ela deve ficar delicada com o cabelo preso, de pijama, deitada na cama (meio jogada, sem se importar), lendo um livro. De Shakespeare a John Green.

Se ela pudesse, tenho certeza que levantaria da cadeira pra dançar na frente de todo mundo. O sorriso que ela tenta esconder, entrega. E assim como os navegantes se encantam com o canto das sereias, todos iam se encantar pela sua dança.

Ela não sabe o poder que ela tem. Não sabe que tem algo que atrai as pessoas, como se fosse um campo magnético. Um campo magnético de beleza interior e exterior, de graça, de alegria, de positividade – de puro amor.

Essa menina é boba. Acha que ninguém vai se apaixonar por ela. Isso porque não sabe que qualquer um que olhar no fundo dos seus olhos, perderia as chaves do coração sem perceber.

Ela sonha. Sonha alto, a mente viaja, a alma se eleva pra um lugar de paz. Sei disso porque ela está iluminada, de alguma maneira. Ela não precisa de ninguém. Vive bem sozinha, é sua melhor companhia. Mas bem que queria alguém pra conversar sobre o universo, fazer viagens ou maratonas de filmes. Quer alguém que ame sua loucura, alguém que traz frio na barriga e conforto no fim do dia. Ela quer alguém que só queira amar e amar, sem limitações.

E quer ser livre. Livre pra dançar, cantar, ler, aprender, falar, evoluir, se expandir. Esconde tanta coisa no olhar que nem ela descobriu ainda. À sua maneira, é muito bonita. E anda sem saber que aviva até as flores do caminho.

Essa menina é um perigo, dos bons. Quem chega perto, encontra um mar cristalino – com um convite pra mergulhar. Mas só mergulhe se for morar na ilha – o coração dela.

Ela é decidida. Dá pra ver na maneira em que toma o café e olha o céu, ou na maneira que troca a música. Cansou de correr atrás de quem não anda do seu lado. Ela está sentada, se quiser, é só chegar. Ela vai abrir um sorriso e você nunca mais vai esquecer. Chama ela pra dançar, na padaria mesmo. Ela vai amar. E depois de algum tempo, vai te amar também.

Quem se jogar com ela, nunca mais se sentirá o mesmo. Nunca mais verá o mundo igual.

Ê menina, mal sabe você o quanto é linda. Gostaria que se visse no espelho como eu te vejo.

Não esqueça: você é incrível. Como se a cidade toda esperasse pelo seu sorriso. Como se você fosse uma grande metrópole, aguardando os aventureiros mais corajosos. Selva de pedra por fora, jardins magníficos escondidos por dentro.

Assinado: qualquer um que para tudo, para assistir você distraída, olhando a janela.

Texto por: Lauren da Rocha Scomparim.

5609212c-7e48-4afd-9d4b-c5819f6d823b

facebookfacebook

sobre a autora

Apaixonada por tudo que faz meu coração vibrar: moda, dança, livros, fotografia, viagens, longboard, arte (em geral), música, céu, mar, sol e lua! Sou uma pessoa de muita fé e de alto astral! Futura estudante de moda, eu quero mostrar o lado “moda como expressão da sociedade”, pois acredito que ela não é só consumismo e regras ditas!