Duas leituras de Dezembro!
Fica a dica

Duas leituras de Dezembro!

Oi gente! Tudo bem com vocês? Espero que sim! Hoje vou falar sobre dois livros (comecei “O Diário de Anne Frank, mas terminei só depois. Mas é maravilhoso também, então fica a dica!) que li em dezembro: “Liberdade Crônica” (Martha Medeiros) e “Faça amor, não faça jogo” (Ique Carvalho). Duas obras lindas que eu amei muito (e por isso estou indicando pra vocês, hahaha).

Liberdade Crônica:

Começarei por Martha. Admiro muito ela: escreve muito bem sobre qualquer assunto. Quando li o livro “Liberdade Crônica” senti como se a própria Martha estivesse batendo um papo comigo e é isso que mais gosto em uma obra/escritor(a)/texto.

Como uma ótima cronista, nesse livro ela aborda sobre vários assuntos (“101 crônicas sobre: A mulher contemporânea – Livros, filmes, músicas, etc – Fé e equilíbrio – No divã – Sociedade”) de uma forma bem leve e descontraída. Se você, assim como eu, gosta de ativar o senso crítico em uma leitura, pode ler que não vai se arrepender! AH! Além de “Liberdade Crônica”, tem mais dois livros dessa, digamos “coleção”: “Felicidade Crônica” e “Paixão Crônica”.

Deixo aqui a sinopse do livro (já gostei só pela frase do Picasso, hahaha!):

liberdade-cronica-livro“A liberdade é politicamente incorreta. A liberdade é personalista. A liberdade não se veste bem, não tem bons modos, não liga para o que os outros vão dizer. Ser absolutamente livre tem um ônus que poucos se atrevem a pagar. […] Dizem que todo artista é louco. Se loucura e liberdade forem parentes, então concordo. Pintar, compor, escrever, dançar, tudo isso requer um mergulho num terreno muito perigoso, o da nossa inconsciência. (Picasso e a arte dos desiguais).

Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta… Como conciliá-la com as exigências da vida de todo dia, com os limites de uma relação amorosa, com a nossa família, com as nossas próprias e mundanas precariedades? A necessidade de liberdade e a busca pelo equilíbrio são aspectos muito presentes na obra de Martha Medeiros – uma das cronistas mais lidas do país.”

Faça amor, não faça jogo:

“Faça amor, não faça jogo”, o que dizer desse livro? Maravilhoso, apaixonante, lindo! Eu simplesmente AMEI! Um livro simples, composto de vários poemas que mexeram comigo! Não sei se chorei porque o livro é emocionante demais ou se chorei por ser dramática com o assunto ”amor”. Ou pode ser que eu estava na bad, hahahaha! Mas juro que chorei gente, simplesmente não consegui lidar com palavras tão simples e delicadas. Ique Carvalho, você ganhou meu coração (tenho certeza que não foi só o meu!).

O livro fala sobre o amor, a forma mais pura desse sentimento. Ique mostra que devemos sim falar pra outra pessoa o quanto a amamos; mostra que o amor foi feito para ser sentido com todo o corpo! “Sabe, esquece essa teoria de não dar moral. Se quer ligar, liga. Vai lá, tenta, quebra a cara, acredita.” O que eu acho sobre essa frase? Super verdade! Orgulho não te leva a lugar nenhum. Logo mais faço uma crônica sobre isso, combinado?

faca-amor-nao-faca-jogos-livroSinopse: “Viver a plenitude do amor é o desejo senão de todas, ao menos da maioria das pessoas. Amar e ser amado incondicionalmente, contar com o apoio de alguém para as horas difíceis e para os momentos alegres, e saber que independentemente do que fazemos, alguém estará ao nosso lado simplesmente pelo que somos é o ideal de vida de muitos.

Viver esse amor na prática, no entanto, nem sempre é fácil. E é exatamente sobre felicidade, vida e amor que Ique Carvalho fala neste livro. O autor, que começou escrevendo em seu blog e já tocou o coração de milhares de pessoas que se envolveram e se emocionaram com suas palavras, descreve com perfeição o amor que muitos procuram e poucos realmente encontram. E ele fala do amor em todas as suas expressões: desde o romântico entre duas pessoas até o mais puro e verdadeiro dos laços familiares, que ele tem com seu pai e mentor.

Como as relações humanas são frágeis e complicadas, os relacionamentos tornam-se difíceis, o que nos faz buscar a felicidade nos lugares ou nas pessoas erradas. Mas o autor nos faz enxergar a vida de forma diferente. Faça amor, não faça jogo é um lembrete de que, no jogo do amor, não é necessário haver ganhadores ou perdedores. Basta olhar e aceitar novos paradigmas e acreditar no que diz seu coração. E vivenciar isso de verdade.”

facebookfacebook

sobre a autora

Apaixonada por tudo que faz meu coração vibrar: moda, dança, livros, viagens, arte, música, céu, mar, sol e lua! Sou uma pessoa de muita fé e de alto astral! Estudante de moda, eu quero mostrar o lado “moda como expressão da sociedade”, pois acredito que ela não é só consumismo e regras ditas, mas sim, um meio de se libertar e ser quem você é!