Como “desenvolver” a autoestima?
Lifestyle

Como “desenvolver” a autoestima?

Olá pessoas maravilhosas! Tudo bem com vocês?

Venho avisar que voltei com tudo para o blog e para o Instagram também! Podem esperar por vários posts, muitas dicas, várias reflexões para debatermos, ou seja, bastante conteúdo! Estão preparados? Hahaha!

E ontem, falei – bastante – sobre autoestima lá nos stories do Instagram – se você não viu, relaxa! Nosso bate-papo está salvo nos destaques, então vai lá ver, hein! E comentei no final que eu iria escrever aqui no blog mais dicas sobre como manter a autoestima alta, como ter mais estabilidade emocional e se autoconhecer melhor! Vamos lá?

Mas antes de tudo, autoestima é “a qualidade de quem se valoriza”, “é a avaliação que uma pessoa faz sobre si mesma, pode ser negativa ou positiva”! Gravou? Agora podemos ir para os pontos que conversamos ontem!

  • Para mudar a maneira que você se enxerga, você precisa se perceber, se questionar, estar atento às suas atitudes e pensamentos – identificar a maneira que você se vê: é uma maneira negativa? Você encontra mais defeitos do que qualidades? Você se critica e se cobra muito!
  • Autoconhecimento está muito ligado à autoestima! Para você se elogiar, você precisa saber quem você é, no que você é bom (ou naquilo que você tem capacidade para ser bom), precisa saber sua identidade e seu propósito! Com o autoconhecimento, fica mais fácil combater pensamentos negativos, porque você terá a certeza de quem você é e do que é capaz!
  • Estabilidade emocional também é um fator importante para manter a autoestima – quanto mais vulnerável você estiver emocionalmente, mais as palavras, situações e julgamentos alheios irão te abalar! Busque se fortalecer, ficar mais equilibrado diante de situações complicadas, não aceite qualquer pensamento ou qualquer fala de terceiros – se apegue naquilo que você acredita, naquilo que você sabe sobre você!
  • Tire um tempo só para você! Cuide-se – fisicamente e mentalmente! Expresse seus sentimentos e pensamentos através da arte, da música, da dança, da escrita. Não acumule pensamentos, não escute qualquer pessoa, filtre tudo o que chega aos seus olhos, ouvidos e coração! Olhe para você e para seu corpo com cuidado e carinho! Não se compare – você é único/única, não há ninguém igual a você! 
  • Combata os pensamentos negativos! Se você perceber que está se criticando muito, pare e tente pensar nas suas qualidades. Se não conseguir, escreva em um papel uma “resposta” positiva para a crítica que você se fez! Exemplo: “eu não sou capaz” – “mas eu já realizei coisas como isso e isso”. Deixe post it colado no espelho com palavras de elogio e de incentivo!

Esses itens são atitudes que me ajudaram a manter a autoestima alta e não duvidar de quem eu sou e do que sou capaz! Também comentei que, para mim, a área espiritual é muito importante: quando entendi que sou filha de Deus e que Jesus morreu por mim, eu quis saber o que Deus acha sobre mim – e descobri que Ele me acha valiosa e importante! Agarrei essa verdade e sigo lembrando dela sempre!

Tudo é um processo, não desista! Não vai ser fácil, nem rápido combater pensamentos e mudar a visão sobre si, mas você consegue! Você é incrível demais para viver duvidando de si e do que você pode fazer!

Lembre-se: se você não consegue mudar sua visão sobre si e sobre a vida, procure ajuda de um profissional! Não é vergonhoso e isso não quer dizer que você não é normal – se você não consegue sozinho, grite! Terapia faz você se conhecer melhor, buscar sua melhor versão e tornar seus pensamentos mais leves! 

Espero que eu possa ter ajudado vocês! Estou aberta para conversar e ajudar!

Beijos, beijos!

Foto retirada do Pinterest! Se for sua, mande mensagem!
Foto retirada do Pinterest! Se for sua, mande mensagem!
facebookfacebook

sobre a autora

Apaixonada por tudo que faz meu coração vibrar: moda, dança, livros, viagens, arte, música, céu, mar, sol e lua! Sou uma pessoa de muita fé e de alto astral! Estudante de moda, eu quero mostrar o lado “moda como expressão da sociedade”, pois acredito que ela não é só consumismo e regras ditas, mas sim, um meio de se libertar e ser quem você é!